Sofrimento, Transformação e Cura num Movimento Religioso do Século XVI

Autores

Palavras-chave:

Sofrimento social; Brasil colonial; Profetismo indígena; Movimento messiânico.

Resumo

destacamos os aspectos terapêuticos num movimento social de base religiosa que ocorreu em Jaguaripe, Bahia, no século XVI, identificando e analisando a sequência de eventos que levaram um jovem indígena a se separar de seu grupo e se converter ao cristianismo por meio dos ensinamentos religiosos jesuíticos e, mais uma vez, se separar da vida cotidiana fugindo para o Sertão. Ele voltou a se incorporar à sociedade local após profunda transição, apropriação de elaborada retórica e fundação de uma complexa seita ameríndia que angariou seguidores entre pessoas indígenas, pessoas negras escravizadas e libertos, assim como caraíbas. Consideramos que a experiência de sofrimento social e a promessa de renovação de vida constituíram fatores fundamentais para a unificação de todos na referida crença, buscando uma nova compreensão do movimento conhecido por “Santidade de Jaguaripe” pela comparação com processos assemelhados e interpretações teóricas em outros estudos. 

DOi.png 10.29327/256659.14.2-5

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fatima Regina Gomes Tavares, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Doutora em Antropologia pela UFRJ. Professora Titular do Departamento de Antropologia da UFBA e Professora Permanente no PPGA/UFBA. Beneficiária de Bolsa de Produtividade em Pesquisa 2 do CNPQ/MCT. E-mail: fattavares@ufba.br

Carlos Caroso, Universidade Federal da Bahia - UFBA

PhD em Antropologia (UCLA). Professor Titular no Departamento de Antropologia da UFBA e Professor Permanente no PPGA/UFBA. Beneficiário de Bolsa de Produtividade em Pesquisa 1-B do CNPQ/MCT. E-mail: caroso@ufba.br

Rafael Losada Martins, Faculdade de Tecnologia SENAC Rio de Janeiro

Doutor em Sociologia (IESP-UERJ). Professor na Faculdade de Tecnologia SENAC Rio de Janeiro. E-mail: rlosada@gmail.com

Referências

ABREU, J. C. de. Primeira Visitação do Santo Ofício às partes do Brasil. Confissões da Bahia, 1591–1592. 1935.

ASAD, Talal. Genealogies of Religion: Discipline and Reasons of Power in Christianity and Islam. Baltimore: John Hopkins University Press, 1993.

ASAD, Talal. A construção da religião como uma categoria antropológica. Cadernos de Campo. São Paulo 1991, v. 19, n. 19, p. 263-284, 2010.

BAUMAN, R. Verbal art as performance. Prospect Heights, IL. Waveland Press. Expanded version of "Verbal Art as Performance”. American Anthropologist, v. 77, n. 1975, p. 290-311, 1977.

CALASANS, J. Fernão Cabral de Ataíde e a Santidade de Jaguaripe. Salvador: EDUNEB, 2012 [1952].

CAMPANHOLO, J. R. dos S. Fé cristã e resistência indígena no novo mundo: uma análise da santidade de Jaguaripe e sua relação com a práxis jesuíta. Dissertação. (Programa de Pós-Graduação em História Ibérica). Alfenas-MG:UNIFAL, 2020.

CAROSO, C. et al. When healing is prevention: afro-Brazilian religious practices related to mental disorders and associated stigma in Bahia, Brazil. Curare Journal of Ethnomedicine, v. 12, p. 195-214, 1997.

CARDOSO, J. O. S. B. Ecos de liberdade: a santidade de Jaguaripe entre os alcances e limites da colonização cristã (1580-1595). 2015. Dissertação (Programa de Pós-graduação em História Social). Salvador: UFBA, 2015.

CAVALCANTI, M. L. V. de C. Drama, ritual e performance em Victor Turner. Sociologia E Antropologia, v. 3, p. 411-440, 2013.

CRAPANZANO, V. The Hamadsha: a study in moroccan ethnopsychiatry. Berkeley & Los Angeles: University of California Press, 1973.

CLASTRES, H. Terra sem mal: o profetismo tupi-guarani. São Paulo: Brasiliense, 1978.

DAS, V. Suffering, theodicies, disciplinary practices, appropriations. International Social Science Journal, v. 49, n. 154, p. 563-572, 1997.

DUARTE, L. F. D. Da Vida Nervosa (nas classes trabalhadoras urbanas). Rio de Janeiro: Zahar/CNPq, 1986.

DUARTE, L. F. D. A outra saúde: mental, psicossocial, físico-moral? In: ALVES, P. C. & MINAYO, M. C. de S. (Orgs.) Saúde e Doença: um olhar antropológico. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 1994.

DUARTE, L. F. D.; LEAL, O. F. Doença, sofrimento, perturbação: perspectivas etnográficas. Editora Fiocruz, 1998.

ELIADE, M. O sagrado e o profano: a essência das religiões. São Paulo: Martins Fontes, 1992[1959].

FERNANDES, F. A função social da guerra na sociedade tupinambá. São Paulo: Universidade de São Paulo,1970.

GASBARRO, N. Missões: a civilização cristã em ação. In: MONTERO, Paula (org.). Deus na aldeia: missionários, índios e mediação cultural. Editora Globo, 2006.

HEILBORN, M. L.; MENEZES, R. A. Suicídio e autonomia. Paper apresentado no GT 33 da 29ª Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, Natal, 4 a 6 de agosto de 2014.

KLEINMAN, A et al. (Ed.). Social suffering. Berkeley and Los Angeles: University of California Press, 1999.

LEITE, S. História da Companhia de Jesus no Brasil. Lisboa: Portugalia, 1938.

MELLO E SOUZA, L. de. O diabo e a terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo: Cia. das Letras, 1986.

METCALF, A. C. Millenarian Slaves? The Santidade de Jaguaripe and slave resistance in the Americas. The American Historical Review, v. 104, n. 5, p. 1531-1559, 1999.

MÉTRAUX, A. A religião dos tupinambás e suas relações com as demais tribos tupi-guaranis. São Paulo: Editoria Nacional: Editora da USP, 1979.

MONTERO, P. O processo de desagregação das terapêuticas tradicionais. In: MONTERO, P. Da desordem à doença: a magia na umbanda. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

MONTERO, P. Introdução. In: MONTERO, P. (org.). Deus na aldeia: missionários, índios e mediação cultural. Editora Globo, 2006a.

MONTERO, P. Índios e missionários no Brasil: para uma teoria da mediação cultural. In: MONTERO, P. (org.). Deus na aldeia: missionários, índios e mediação cultural. Editora Globo, 2006b.

MONTEIRO, J. M. Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Cia. das Letras, 2000.

NEVES, L. F. B. O combate dos soldados de Cristo na terra dos papagaios: colonialismo e repressão cultural. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1978.

POMPA, C. Profetas e santidades. Missionários e caraíbas no Brasil colonial. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 21, n. 40, 2001.

QUEIROZ, M. I. P. de. O messianismo no Brasil e no mundo. São Paulo: Alfa-Omega, 1976.

PUSSETI, C.; BRAZZABENI, M., Sofrimento social: idiomas da exclusão e políticas do assistencialismo. Etnográfica, 15 (3): 467-478, 2011.

RODRIGUES, N.; CAROSO, C. Idéia de ‘sofrimento’ e representação cultural da doença na construção da pessoa. In: DUARTE, L. F. D. & LEAL, O. F. (org.) Doença, sofrimento, perturbação: perspectivas etnográficas. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1998.

RODRIGUES, N.; CAROSO, C. A sina de curar: a palavra de um terapeuta religioso. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 5, n. 12, p.183-212, Dez. 1999.

SCHEFF, T. J. Catharsis in healing, ritual, and drama. Berkeley and Los Angeles: The UC Press, 1979.

SAHLINS, M. O "pessimismo sentimental" e a experiência etnográfica: por que a cultura não é um" objeto" em via de extinção (parte II). Mana, v. 3, p. 103-150, 1997.

SILVA, I. B. P. A santidade de Jaguaripe: catolicismo popular ou religião indígena? Revista de Ciências Sociais, v.26 n. l/2, 1995, p. 65-70.

SOUZA, G. S. de. Tratado descritivo do Brasil em 1587. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1971.

TURNER, V. W. Drama, campos e metáforas. Niteroi: EdUFF, 2008[1974].

TURNER, V. W. The drums of affliction: a study of religious processes among the Ndembu of Zambia. Routledge, 2018.

TURNER, V. W.; SCHECHNER, R. The anthropology of performance. PAJ Publications, New York, 1988.

VAINFAS, R. Idolatrias e milenarismos: a resistência indígena nas Américas. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 9, p. 29-43, 1992.

VAINFAS, R. A heresia dos índios: catolicismo e rebeldia no Brasil colonial. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

VAN GENNEP, A. Os ritos de passagem. Vozes, 1978[1909].

Downloads

Publicado

14-11-2023

Como Citar

Tavares, F. R. G., Caroso, C., & Martins, R. L. . (2023). Sofrimento, Transformação e Cura num Movimento Religioso do Século XVI. PLURA, Revista De Estudos De Religião / PLURA, Journal for the Study of Religion, 14(2), 72–92. Recuperado de https://revistaplura.emnuvens.com.br/plura/article/view/2216

Edição

Seção

Artigos / Articles: Temática livre / Free subject