Os ritos de passagem, o ritual da confirmação e a ética protestante no contexto luterano e pomerano

Autores

Palavras-chave:

Rituais de passagem; ética protestante; pomeranos; luteranismo.

Resumo

este artigo trata sobre os ritos de passagem que são praticados em comunidades luteranas na Serra dos Tapes, região meridional do Rio Grande do Sul – Brasil. Esses ritos são: batismo, confirmação, casamento e morte, que se manifestam por meio de um processo histórico de adaptação religiosa e cultural pomerana ao contexto local. No decorrer do trabalho são definidos antropologicamente esses ritos de passagem (Rodolpho, 2004). O trabalho tem maior foco no rito da confirmação, que atrelado com à ética protestante (Weber, 2004), gerava um abandono precoce da escola, e uma forte dedicação ao labor do trabalho, fatos relacionados à religião luterana, que considera os ensinamentos da Igreja e a dedicação ao trabalho como algo fundamental para o desenvolvimento do indivíduo. 

DOi.png 10.29327/256659.14.2-6

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karen Laiz Krause Romig, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda e mestra em Educação pela Universidade Federal de Pelotas. Possui graduação em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal de Pelotas. Integrante do grupo de pesquisa CEIHE (Centro de Estudos e Investigações em História da Educação). E-mail: karenlaizromig@gmail.com

Patrícia Weiduschadt, Universidade Federal de Pelotas

Possui doutorado em Educação pela UNISINOS e mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pelotas. É professora efetiva da Universidade Federal de Pelotas, lotada no Departamento de Fundamentos da Educação - Faculdade da Educação. É coordenadora do CEIHE (Centro de Estudos e Investigações em História da Educação) e líder do grupo CEIHE/CNPQ/UFPEL. Realizou pós doutorado em Educação na PUC-RS. E-mail: prweidus@gmail.com

Referências

ALBERTI, Verena. Manual de história oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

ALTMANN, Walter. Lutero e Libertação. São Leopoldo, Sinodal e Ática, 1994.

BAHIA, Joana. A lei da vida: confirmação, evasão e reinvenção da identidade entre os pomeranos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.27, n1, p. 69-82, jan./jun. 2001.

BAHIA, Joana. O tiro da Bruxa: identidade, magia e religião na imigração alemã. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

CALLIGARIS, Contardo. A adolescência. 2. ed. São Paulo: Publifolha, 2009.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. 4º ed. Petrópolis: Vozes, 2014. p. 295-316.

DILLMANN, M. A morte tem sua beleza no sul: túmulos, culto e memória na Porto Alegre do século XX. Revista Latino-Americana de História, v. 2, p. 327-344, 2013.

FAROFA, R.R.; Espaço dos mortos, sepulturas dos vivos. Uma análise sobre práticas em edificações tumulares nos cemitérios luteranos de Canguçu – RS. In: ARENDT, Isabel Cristina; CUNHA, Jorge Luiz da; SANTOS, Rodrigo Luis dos. (Org.). Migrações - perspectivas e avanços teórico-metodológicos. 1ºed. São Leopoldo: Oikos, 2018, v. 1, p. 438 - 453.

GENNEP, Arnoldo van. Os ritos de passagem. Tradução Mariano Ferreira. 4 ed. Petrópolis, Vozes, 2013.

KREUTZ, Lúcio. Escolas de imigração alemã no Rio Grande do Sul: perspectiva histórica. In: MAUCH, Claúdia; VASCONCELLOS, Naira. (org.). Os Alemães no sul do Brasil: cultura, etnicidade e história. Canoas: ULBRA, 1994.

KRONE, Evander Eloí. Comida, memória e patrimônio cultural: a construção da pomeraneidade no extremo sul do Brasil. 2014. 175f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Programa de Pós-Graduação em Antropologia. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2014.

LUCHESE, Terciane Ângela. Entrelaçando tempos de infância e escolarização: a relação entre idade e frequência nas escolas da Região Colonial Italiana do RS de 1875 a 1930. Educação (PUCRS. Impresso), v. 2, p. 277-284, 2012.

MALACARNE, I. K. Ensino confirmatório e confirmação: adolescência e rito de passagem. In: Anais do Salão de Pesquisa da Faculdades Est, v.16. p. 39-53, 2017, São Leopoldo.

MALTZAHN, Gislaine Maria. Família, ritual e ciclos de vida: Estudo Etnográfico sobre narrativas pomeranas em Pelotas (RS). 2011. 151 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Instituto de Sociologia e Política. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2011.

MANSKE, Cione Marta Raasch. Educação e Religião: Representação na História e na Identidade Pomerana em Santa Maria de Jetibá. 2013. 185f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais), Universidade de Vila Velha, Vila Velha, 2013.

MENEGHEL S. N.; MOURA R. Suicídio, cultura e trabalho em município de colonização alemã no sul do Brasil. Interface (Botucatu). 2018; 22 (67): 1135-46.

NADALIN, Sergio Odilon. Imigrantes de Origem Germânica no Brasil: ciclos matrimoniais e etnicidade. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 2001. 249p. 2ª ed.

PERROT, Michele. A juventude operária da Oficina à Fábrica. In: LEVI, Giovani; SCHMITT, Jean-Claude (org.) História dos Jovens a época contemporânea. v.2, São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p.83-194.

QUANDT, E. W. Entrevista realizada por escrito [jul. 2020]. Entrevistadora: 2020. Entrevista concedida para fins de pesquisa acadêmica.

RODOLPHO, A. L.; Rituais, ritos de passagem e de iniciação: uma revisão da bibliografia antropológica. Estudos Teológicos, v. 44, n. 2, p. 138-146, 2004.

RÖLKE, Helmar Reinhard. Descobrindo raízes, Aspectos Geográficos, Históricos e Culturais da Pomerânia. Vitória: UFES. Secretaria de Produção e Difusão Cultural, 1996.

SALAMONI, G. ACEVEDO, H. ESTRELA, L. Os Pomeranos: Valores Culturais da Família de Origem Pomerana no Rio Grande do Sul – Pelotas e São Lourenço do Sul. Pelotas: Editora Universitária, 1995.

SCHLEE, Vera Maria Krumreich. A evasão escolar em comunidades pomeranas de Canguçu. 2000. 25 f. Trabalho de Conclusão do Curso de Especialização em Educação. Faculdade de Educação. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2000.

SCHNEID, Carla Rejane Barz Redmer; Ensino Confirmatório: Aspectos locais da educação de jovens pomeranos. 2012. 48 p. Especialização de educação de jovens e adultos na diversidade – Universidade Federal do Rio Grande. São Lourenço do Sul, 2012.

SIEFERT, B. H. Entrevista [set. 2020]. Entrevistadora: 2020. Entrevista concedida para fins de pesquisa acadêmica.

STORCH, L. S.; THIES, V. G; Lembranças de batismo: a cultura escrita em três gerações de uma família pomerana. In Anais: Anais do 22º encontro da Asphe - UNIPAMPA, 2016. v. 01. p. 769-782.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

WEIDUSCHADT, Patrícia. O Sínodo de Missouri e a educação pomerana em Pelotas e São Lourenço do Sul nas primeiras décadas do século XX: identidade e cultura escolar. 2007. 256 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2007.

WEIDUSCHADT, P.; TAMBARA, E.; Cultura escolar através da memória dos pomeranos na cidade de Pelotas, RS (1920-1930). Cadernos de História da Educação. Pelotas. v. 13, n. 2, p.687- 704. 2014.

Downloads

Publicado

14-11-2023

Como Citar

Krause Romig, K. L., & Weiduschadt, P. . (2023). Os ritos de passagem, o ritual da confirmação e a ética protestante no contexto luterano e pomerano. PLURA, Revista De Estudos De Religião / PLURA, Journal for the Study of Religion, 14(2), 93–111. Recuperado de https://revistaplura.emnuvens.com.br/plura/article/view/2130

Edição

Seção

Artigos / Articles: Temática livre / Free subject